Transtorno do libido sexual hipoativo

O desejo sexual hipoativo é uma diminuição ou ausência de fantasias sexuais que geralmente, leva a pessoa a deixar de desejar ou querer ter relações sexuais; causando acentuado sofrimento, que geralmente, a conduz para dificuldades no âmbito do relacionamento afetivo, vida profissional e social. O baixo desejo sexual, conforme descrito no DSM IV ( Manual estatístico e diagnóstico de transtornos mentais) pode ocorrer em todas as situações e formas de expressão sexual ( generalizada) , ou ocorrer apenas na presença de determinadas situações ( situacionais), como por exemplo: com um parceiro específico, ou uma atividade sexual específica ( ex: pode ocorrer na relação sexual, mas não na prática da masturbação). Um desejo sexual reduzido freqüentemente está associado com problemas de excitação sexual ou com dificuldades para atingir o orgasmo. Não é incomum que pessoas com freqüentes queixas relacionadas ao desejo, usarem a inibição do desejo como uma forma defensiva, a fim de se protegerem contra temores relacionados ao sexo. A auto-estima adequada, boas experiências anteriores com o sexo, a disponibilidade de um parceiro apropriado e um bom relacionamento em áreas não sexuais com o parceiro, são fatores importantes para a adequada qualidade de vida sexual. Danos em qualquer um desses fatores podem resultar em uma diminuição do desejo, e conseqüentemente, representarem uma fonte de sofrimento para os indivíduos. Vários fatores podem estar presentes como causa do desejo sexual hipoativo, entre eles: Fatores orgânicos (ex: diminuição da testosterona, dor durante o ato sexual, lesões nas genitálias, etc.); Fatores farmacológicos: (ex: uso de determinados medicamentos como: anti-hipertensivos, antidepressivos, drogas de abuso entre outros que podem concorrer para a baixa libido); Fatores Psicológicos: (ex., depressão, estresse acentuado, medos e inseguranças); Fatores relacionais e culturais: (Situações traumáticas de abuso sexual, educação muito rígida, falsos mitos sobre a sexualidade, culpa, comportamento sedutor por parte dos pais, conflitos conjugais, gravidez, também podem estar implicados em alguns casos.); Outros fatores, como: a condição médica geral do individuo, podem ter efeito prejudicial e inespecífico sobre o desejo sexual; fraqueza, dores, problemas com a imagem corporal, preocupações diversas com a sobrevivência ( finanças, desemprego), relacionamentos afetivos problemáticos. A Abstinência sexual por períodos prolongados também pode ocasionar supressão do impulso sexual. Dificuldades ou deterioração do relacionamento são outros fatores que podem levar a perda do desejo sexual. Porém é importante não fechar os olhos para os primeiros sinais de crise. Eles podem virar uma bola de neve. Procure ajuda. É “normal” procurar ajuda em situações de crise. Dê preferência para um profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *